• Tassi Oliveira

A companhia de si mesma

Sábado à noite. Tem momento da semana que gere mais ansiedade do que esse? Estou falando de um momento que se repita toda semana, mas que não é necessariamente um evento, como uma reunião ou aquela apresentação que você tem que fazer. Sábado, 18h, e a pergunta: o que tem de bom hoje?


Nem vale dizer que quem tem uma companhia está melhor. Também para os casais esse momento é tenso. Aliás, ficará tenso se a opção de um dos dois é passar o sábado à noite fazendo qualquer outra coisa sem ser um com o outro. Ou seja, a solução de ter alguém nem sempre é infalível. Afinal, a única pessoa que certamente você pode contar para sempre e em todos os momentos é você mesma, xuxu.


Lembro de uma frase que minha mãe sempre dizia: "minha própria mãe, aquela pessoa a quem eu passei nove meses fisicamente ligada, morreu e me deixou, imagina o resto". Ok, minha mãe é dramática, mas ela queria dizer que nós estamos sós nessa vida. Compartilhamos momentos com uma diversidade de pessoas, mas ao fim do dia estamos sós. E a solidão é algo que ninguém nos ensina a gostar.


Quando somos crianças, a primeira coisa que nossos pais fazem (ou seja lá quem cuide da gente) é nos colocar no parquinho e dizer: vai lá fazer amiguinhos. Na escola, temos que nos enturmar logo e fazer amigos. Estar sozinho é um problema e pode até virar um motivo para seus pais terem que ser chamados para conversar sobre. Na adolescência, preciso falar sobre a adolescência? Ai que fase!


Depois vem a faculdade e o trabalho, os relacionamentos... e, logo mais, você percebe que aquele círculo enorme de amigos que você tinha na adolescência (se teve sorte) e durante a faculdade, começam a se afastar. Sem tempo, irmão! Tem que dar atenção à namorada/namorado, aí vem o casamento e os filhos... E quem tem mais tempo de se encontrar? "Bora marcar, bora!" virou até meme. E aí você fica solteira/solteiro de novo e qual o maior problema: encontrar alguém para sair! Os sábados à noite ganham um peso ainda pior.


Estar sábado à noite sozinha em casa (piora se você mora sozinha, amiga) é quase como ser incompetente. Você deveria ser capaz de ser querida a ponto das pessoas quererem sua presença, aliás, você deveria estar escolhendo um lugar para ir neste momento. E aquela sua amiga que se diz tão amiga postando a festa naquele bar que fica somente a alguns quarteirões do seu apartamento? Por que ela não te chamou? Você se revolta, fica triste e manda mensagem fazendo bico porque ela não te convidou.


Mas qual o grande problema de estar só? Por que precisamos estar cercados de pessoas para nos sentir felizes? Minha experiência me diz que é porque a gente não gosta da gente mesmo. É um saco lembrar que estamos sós, que não temos o que fazer. É enlouquecedor ficar sozinhos com nossos pensamentos. E é pior ainda dizer ou mostrar aos outros que estamos sós.


Na atual sociedade do Instagram, quantas pessoas postam fotos sábado à noite fazendo crochê sozinhas? Ou vendo Netflix de boa, sem ninguém ao lado (sem ser um convite para algum crush)? Sério... Solidão é algo que nós não conseguimos lidar, mas é a única coisa que temos de certeza (depois da certeza da morte). É possível que tenhamos amigos e familiares durante a vida, mas é certeza que estaremos sozinhos em diversos momentos.


Quero finalizar este texto dizendo que a solidão não é algo negativo. É preciso gostar de estar só. Mas até isso me faz parecer que estou dando uma desculpa pelas minhas noites solitárias. Quem acreditaria que alguém realmente goste de passar tempo consigo mesma? E, pior, passar diversos finais de semana assim. Se é verdade ou não que a solidão é algo que aprendi a gostar vai ficar como dúvida, mas é bem provável que eu fique em casa sábado que vem de novo. E no próximo também. E no próximo também.

12 visualizações

Posts recentes

Ver tudo

©2020 por Tassi Oliveira. Orgulhosamente criado com Wix.com